É possível sermos produtivos com os filhos em casa?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Um grande desafio

Na Academia de Assistentes Virtuais acreditamos e lutamos por uma sociedade mais equilibrada, na qual exista uma verdadeira harmonia entre as duas dimensões mais importantes das nossas vidas: a família e o trabalho.

Algumas de nós, assistentes virtuais, descobriram esta profissão enquanto procuravam e desenhavam um estilo de vida que permitisse ultrapassar o sentimento de não ter tempo para os filhos. 

Ao mesmo tempo, trabalhar com os filhos em casa é um dos maiores desafios de qualquer profissional…

A pandemia que se instalou nos últimos dias acabou por trazer esta realidade de trabalhar a partir de casa e com os filhos em casa para muitos. Nunca antes se falou tanto de conciliação laboral.

Neste artigo vamos desconstruir esta realidade, partilhar contigo os fatores mais importantes dos quais vai depender a tua produtividade e dicas que te poderão ajudar a lidar melhor com a presença dos mais pequenos à volta do teu trabalho.

Atenção: Trabalhar com os filhos em casa pode ser profundamente frustrante! É uma arte que se aprende, e pode levar tempo a dominá-la. Por isso, não te sintas mal se nos primeiros tempos não consegues ser tão produtivo quanto gostarias!

De que depende a produtividade?

Para quem está habituado a um horário das 9h às 17h, num escritório ou sala onde não é interrompido ou, pelo menos, não por crianças, pode ser um desafio encarar a possibilidade de ser produtivo em casa. A produtividade, contudo, vai depender de vários fatores:

1. Se tens outra pessoa a cuidar das crianças

Esta é a premissa que vai definir o grosso da tua produtividade. Mesmo que seja só por alguns dias ou a tempo parcial (porque por exemplo o teu parceiro também esteja a trabalhar a partir de casa), poder partilhar as horas de cuidado às crianças vai aliviar enormemente a tua carga. 

Se for possível, acertarem as horas em que cada um fica a cuidar deles, tendo em conta as horas em que cada um é mais produtivo. Além de permitir a divisão das responsabilidades, permite-te sentir mais tranquilo e focado nas horas de trabalhar. 

2. Do número de filhos e as suas idades 

Não é a mesma coisa teres um bebé que dorme 3h durante o dia, dois gémeos de 2 anos a namorar constantemente com a autodestruição, ou um adolescente que basicamente não sai do seu quarto exceto para se alimentar. 

Os bebés em teoria dormem muito, mas na prática… depende. (Por exemplo, o meu filho passava os dias rabugento de sono e quando finalmente adormecia, acordava porque estava nervoso, deixando os pais com o sono estragado e os nervos em franja!). O conselho mais óbvio é tentar aproveitar as sestinhas deles para trabalhar.

Se tiveres um ou mais toddlers, vais precisar mesmo de outra pessoa (ponto nº 1) para manteres a tua sanidade mental, ou então opta por trabalhar ao serão ou de madrugada (ponto nº6).

Um ponto intermédio serão as idades entre os 5 e os 8 ou 9, em que as crianças já se entretêm sozinhas, mas vão sempre precisar da nossa atenção.

Por outro lado, se os teus filhos já forem crescidos, considera-te afortunado! 

3. Se os teus horários são “obrigatórios”

Convenhamos: uma coisa é teres de trabalhar das Xh às Yh todos os dias, e outra é teres as tarefas A, B e C para concluir até dia Z. 

No primeiro caso, se não contas com o apoio de mais ninguém (ponto 1), vai ser-te muito difícil cumprir o teu horário. Se ainda não o fizeste, tenta negociar com o teu cliente os horários mais compatíveis para ti

Esquece o trabalho “comercial” (receber ou fazer chamadas), ou corres o risco de parecer pouco profissional (embora na verdade nunca saibas se do outro lado da linha há também um pai/mãe aflito…).

4. Se dispões de um espaço exclusivo para trabalhar

Se tens a sorte de ter feito check no ponto 1 (ter outra pessoa que te apoie no cuidado), contar com um espaço exclusivo para trabalhar é um luxo que te vai permitir ser realmente produtivo

Sem alguém que fique com eles, já deves ter tentado trabalhar na sala ou no quarto deles enquanto eles brincam. Provavelmente é a única solução. Mesmo que tenhas um espaço de trabalho dedicado, nunca deixes os meninos sem supervisão. Se bem é certo que há televisão, jogos e snacks com os que se podem entreter sozinhos, pela segurança dos teus filhos, não os abandones. 

5. Se precisas de falar por videoconferência

É incrível: no momento em que começamos a conversar com alguém com uma câmara ligada, as crianças vêm logo, movidas pela curiosidade, ter connosco. As suas simpáticas carinhas acabam por interromper conversas sérias e às vezes ficamos envergonhados pela aparente falta de profissionalismo. 

Lembras-te daquele famoso vídeo em que um jornalista estava a falar ao vivo na televisão e as crianças invadiram o seu espaço de trabalho? É absolutamente normal, e deveria ser visto cada vez mais como algo natural. De facto, espero que assim seja! 

O meu conselho enquanto isso não acontece é silenciares o teu microfone e falares apenas quando for a tua vez. Se for uma conversa a dois, uma simples chamada telefónica poderá resolver o assunto. (Para mim funciona bem, porque posso ir fugindo dos meus filhos pelas várias divisões da casa!)

6. Do teu biorritmo 

Já deves ter ouvido falar, quando se fala de produtividade, dos “mochos” e das “cotovias”, e seguramente já saibas em qual destas categorias te enquadras melhor. A sorte de nós, pais, é que precisamos de menos horas de sono que os nossos filhos (o problema é muitas vezes andarmos mesmo exaustos). 

O segredo para sermos produtivos é aproveitar essas horas frescas da manhã em que as crianças ainda não acordaram, ou as silenciosas horas do serão/madrugada em que dormem ferrados no sono, para despachar todo o trabalho mais exigente em termos de concentração. Essa tem sido a minha tábua de salvação! Se bem o mundo está feito para as cotovias, os mochos produzimos intensamente quando o resto das pessoas supostamente descansa. 

Encontra a tua “hora bruxa” de criatividade e aproveita a tua magia. Permitir-te-á ter mais alguma folga de trabalho para afrontar um longo dia com as crianças!

Demasiados fatores envolvidos

Como vês, não há uma resposta certa à pergunta se é possível ser produtivo com os filhos em casa. Estes são alguns dos fatores que mais influenciam o teu desempenho profissional, mas, na verdade, também vai depender de outras questões: das características dos teus filhos (se são muito colados a ti ou não), das caraterísticas da tua casa (tamanho, disposição), da flexibilidade que consegues com os teus clientes, etc. 

Com o treino vais começar a reconhecer padrões (horários teus e deles, brincadeiras que os entretêm mas tempo, tarefas que podes executar com mais barulhos), e ir ganhando mais à vontade e produtividade.

Uma última nota

Ter as crianças em casa não é uma maldição, é uma oportunidade para a sociedade, nós pais incluídos, repensarmos a infância e o ritmo louco dos nossos dias. Se por acaso dás por ti a berrar com eles, a perder a paciência, a ficar muito estressado ou tenso, não hesites e procura sempre a ajuda de um profissional.

Lembra-te: Elas são apenas crianças! ☺