Como Conciliar uma Atividade a Tempo Inteiro com a Assistência Virtual

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Será a Assistência Virtual compatível com uma outra atividade profissional?

A pergunta inevitável de muitas pessoas que são atraídas para a Assistência Virtual e, à luz da minha própria realidade e experiência, segue abaixo a minha resposta.

Eu respondo: Sim e Não.

Foi assim que comecei e assim me mantenho. Mas tudo depende dos nossos objetivos e, acima de tudo, da consciência da nossa limitação.

Temos que nos lembrar que a Assistência Virtual existe para apoiar outros negócios e empreendedores. Seja a dar-lhes a mão para fazer tarefas que não são o centro da sua atividade – mas que são necessárias! – seja para os ajudar a crescer ou até para fazer tarefas que eles não sabem como fazer.

Quando assumimos a responsabilidade de trabalhar com determinado cliente, estamos a comprometer-nos com algo – com o nosso tempo ou com um determinado resultado. E esse cliente está a contar connosco.

Por isso, a resposta ambivalente à pergunta inicial… Ser Assistente Virtual a tempo inteiro ou a tempo parcial, implica responsabilidade e compromisso. Diria que mais ainda quando feito a tempo parcial e quando não é a nossa maior ou única fonte de rendimento – é fácil a dispersão.

Sim é possível conciliar com outra actividade quando estamos conscientes do tempo que verdadeiramente temos disponível para dedicar à Assistência Virtual e temos presente esta noção de que alguém está a contar connosco.

Não é possível nem aconselhável a conciliação quando resolvemos ‘entrar’ na assistência virtual apenas com o objectivo de ganhar mais algum dinheiro sem pensar em mais… desta forma podemos estar a menosprezar o comprometimento e os nossos resultados – além da nossa reputação.

Quando iniciei a minha actividade como Assistente Virtual tinha outra actividade e todo o planeamento que fiz – fosse da minha disponibilidade horária e até dos serviços que prestava – foram em função do que era possível para mim, no meio das restantes responsabilidades, para que entregasse um bom trabalho.

E, para mim, esta é a chave: entregar aquilo com que me comprometi, com qualidade.

Acredito na Assistência Virtual e na prestação de serviços de qualidade. Defendo um dever ético e de profissionalismo que vai além do trabalhar 5, 20 ou 60 horas semanais.

E é esta crença que me guia no meu trabalho – por conta própria, como empreendedora, ou como trabalhadora por conta de outrem – e na minha relação com todos os meus clientes, colegas e parceiros.