Assistente Virtual: Onde está o teu primeiro cliente?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Seguiste o passo-a-passo para criar o teu negócio de assistente virtual, definiste quem és enquanto Assistente Virtual, que serviços irás prestar e a quem. O que te falta agora é mesmo chegar a esse “a quem”, isto é, conquistar o teu primeiro cliente

Se a fase inicial de reflexão é planeamento é importante, a ação é fundamental! 

Neste artigo vamos falar sobre os caminhos possíveis para conquistares o teu primeiro cliente. 

1 – Conhece-te

Se leste o artigo Como Ser Assistente Virtual, já sabes que não acredito em estratégias únicas e que a única forma de escolheres um caminho que funciona para ti é conheceres-te

Se queres angariar clientes, uma coisa é certa e aplicável a qualquer perfil: tens de te dar a conhecer! 

Antes de preparares tudo o que precisas para isso, responde a estas questões :

  • És uma pessoa mais introvertida ou extrovertida? 
  • Sentes-te à vontade para contactos mais pessoais e apresentações em público ou os contactos virtuais parecem-te a melhor opção para te sentires confortável? 
  • Expores o teu projeto, através de um website e redes sociais, é algo que te faz sentido ou com o qual não te identificas? 

Não há respostas certas nem erradas. Há apenas as tuas respostas e é partir deste autoconhecimento e destas respostas que poderás dar os próximos passos e avançar até à conquista do teu primeiro cliente. 

Criares o teu próprio negócio também te traz esta liberdade: de o criares em função do que gostas, do que acreditas e do que te deixa mais confortável.

2 – Organiza-te

Agora que compreendeste que formas de contacto podem ou não caber no teu modelo de negócio, está na hora de te organizares. 

A fase da preparação é essencial para que os contactos comerciais que vais estabelecer tenham um maior potencial de conversão. 

Há instrumentos que te vão ajudar a teres mais confiança e a impressionar os teus prospects, criando a confiança que qualquer relação existe. Mais uma vez, não tens de ter tudo, mas tens de ter aqueles que te fazem maior sentido e que se encaixam também com o perfil do teu público ideal:

  • Apresentação Profissional – sou uma grande defensora desta apresentação, onde te apresentas enquanto Assistente Virtual, mostras a tua experiência (o teu portfólio / clientes com os quais já trabalhaste), as vantagens dos teus serviços, os serviços que ofereces e testemunhos. (Fica aqui prometido um artigo dedicado inteiramente a este tema, que tem tanto a explorar!) 
  • Cartão de visita ainda se usam? Sim e não! Usam-se se vais apostar num contacto mais pessoal, se pretendes participar em eventos e grupos de networking e investir em reuniões presenciais com potenciais clientes. 
  • Website e redes sociais – se decidiste ter presença online, teres o teu site e/ou redes sociais prontas é um bom princípio. Tal como tu queres conhecer o teu potencial cliente, o teu potencial cliente quer-te conhecer a ti e teres a tua casa virtual pronta acresce-te vários pontos favoráveis. 
  • Perfil de LinkedIn optimizado – deixei para último mas podia ter sido o primeiro.. Desde que trabalho como profissional independente que não voltei a usar o curriculum, pelo menos na sua versão original. Para que o meu cliente possa pesquisar mais sobre o meu percurso e para que eu possa contactar potenciais clientes, criar uma rede de profissionais e até para partilhar conteúdo, criados por mim considero o LinkedIn um ótimo aliado. 

3 – Age todos os dias

Criar um plano de ação e medir os resultados vai ajudar-te a manter a motivação nesta fase inicial (e não só). 

No Workshop Online de Iniciação à Assistência Virtual, sugeri às participantes que falem com uma pessoa por dia. Este número não é nenhuma fórmula, mas é uma forma de treinares o teu pitch e validares o teu mercado. 

Tão importante quanto ao número de pessoas com que falas é que acompanhes o resultado destas conversas: no que resultou cada contacto, que documentos ficaste de enviar, quando combinaste voltar a contactar ou que pontos de melhoria te foram sugeridos. Manteres registos desde o primeiro dia vai permitir teres uma noção exata da tua evolução e progresso. Lembra-te que o teu negócio vai evoluir contigo!

E, porque este artigo não cumpriria o seu objetivo se ficasse por aqui, deixo sugestões para encontrares o teu primeiro cliente, quer sejas mais introvertido ou mais extrovertido. Algumas sugestões são mais “fora da caixa” ou, como diz Miguel Gonçalves no livro “O Mercado Grita Talento”, improváveis, mas não estranhes! Já dizia Einstein:

Loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exatamente igual.

Começando pelo mais simples (e quer sejas mais ou menos introvertido): 

  • Comunica o teu novo projeto à tua rede de contactos – família, amigos, conhecidos, antigos colegas de trabalho, etc. – Pode ser através de um email, uma chamada, um almoço de família ou um post na tua rede social favorita. Tu decides! Há um potencial enorme em usar a rede mais próxima, além de que receber palavras de apoio pode ser uma ótima forma de fortalecer a tua motivação para a fase de arranque. 

Se achas que a tua rede de contactos é reduzida ou inexistente, reconsidera: em 2017 achei que “só tinha” 27 contactos na minha rede pessoal que pudessem ajudar-me a validar o modelo de negócios e a recomendar a empreendedores e empresas. Foi desta lista que chegou o meu primeiro cliente, bem como o segundo, o terceiro e o quarto… 

  • Cria uma assinatura de email. Aqui está uma ideia bastante simples e que aprendi com o livro do Miguel Gonçalves:

“Fazer e configurar uma assinatura de email demora pouco tempo, traduz profissionalismo e rigor, e deixa os teus contactos sempre disponíveis cada vez que envias um email.”

 

PERFIL INTROVERTIDO

A timidez não é objeção para nada, nem significa que vai ser difícil encontrares o teu primeiro cliente. 

Se garantires o teu conforto, no sentido de escolheres ações alinhadas com quem és, vai ser-te fácil fazer este caminho. Palavras de uma Assistente Virtual extra-tímida, a quem a ação constante tem ajudado a expandir a zona de conforto!

  • Cria um formulário que te permita estudar a viabilidade do teu projeto e o interesse do teu público-alvo nos teus serviços e envia para profissionais que admiras e com quem gostavas de trabalhar

Se não te sentes preparado para fazer uma reunião exploratória como primeira abordagem, não desistas! Cria um formulário, partilha com profissionais que admiras e/ ou em grupos de facebook em que o teu público-alvo esteja presente e, depois de analisares as respostas, envia a tua apresentação e um convite para uma reunião online àqueles que demonstraram interesse nos teus serviços.

Este método pode ajudar-te a sentires maior segurança na hora da reunião, além de te permitir fazer os “trabalhos de casa”, isto é, conhecer o empreendedor/ empresa e as suas características e necessidades.

  • Cria artigos e partilha no teu blog, LinkedIn e grupos de Facebook

Criar conteúdos é uma excelente forma de te dares a conhecer enquanto assistente virtual. Através de artigos e de posts podes demonstrar os teus conhecimentos e abordar as dores do teu cliente, bem como os benefícios que conquistará ao contratar-te. É uma comunicação indireta e cujos frutos não são necessariamente imediatos. Contudo, ajuda-te a trabalhares a exposição de quem és e o que fazes, a posicionar-te e a receber feedback através de comentários e mensagens.

  • Cria um perfil em plataformas de contratação de freelancer

Neste artigo do Nomadismo Digital encontras uma lista de plataformas com ofertas para freelancers. Podes explorar estas plataformas, criar um perfil profissional e enviar as tuas propostas.

Pessoalmente não utilizo e não acho que seja a melhor forma de chegar ao primeiro cliente: falar com pessoas traz-me feedback (e um feedback muito mais rápido) do que o esperado nestas plataformas. Contudo, como disse no início deste artigo, não há fórmulas únicas e se fizer sentido para ti, aqui tens mais uma opção.

  • Envia propostas personalizadas por email

Sabes aquele empreendedor que tanto admiras e que acabaste de perceber que tinha beneficiado se tivesse apoio durante o Live/ Webinar que acabaste de ver (um serviço que tu até queres prestar, mas não sabes como lhe apresentar)? Ou aquele post com “à” em vez de “há” que até te deu arrepios?

Se já detetaste um potencial problema/ potencial dor do teu cliente ideal e tens a solução, mostra-lhe! Cria uma apresentação personalizada e envia num email audaz e criativo.

  • Cria o teu próprio grupo de empreendedores e organiza eventos de networking

Hoje em dia é quase inevitável conhecer pelo menos uma pessoa que seja empreendedora! Para treinares o teu pitch, expandires a tua rede de contactos e expandires a tua zona de conforto, nada melhor do que praticar num ambiente mais intimista!

A Inês, uma Assistente Virtual que acompanhei em processo de mentoria, decidiu criar um grupo de partilha e apoio através da sua própria rede: 4 amigas empreendedoras, que todas as terças de manhã se encontram num café que todas adoram! São 2 horas de partilhas e aprendizagem, onde trocam ideias, dúvidas, experiências e trabalham os seus pitch e evolução. A dona do café, também uma amiga da Inês, divulga a iniciativa também no espaço e nas redes sociais e já receberam participantes que não conheciam. Uma forma simples de espalhar a palavra e de praticar o “falar em público”. Fica o desafio!

 

PERFIL EXTROVERTIDO

Se comunicar é-te natural e algo que adoras, tira partido dessa característica! Para encontrar o teu primeiro cliente o único “truque” é mesmo esse: comunicar!

  • Participa em encontros de networking e meet-ups

Há vários encontros de networking e meet-ups a acontecer semanalmente em várias cidades portuguesas, além de encontros virtuais, em grupos privados de Facebook ou via Skype ou Zoom. No geral, são encontros onde tens oportunidade para conhecer outros empreendedores e projetos, debater alguns tópicos, conhecer várias realidades e desafios de outros empreendedores e, claro, de te apresentares e construíres a tua rede de contactos!

Participar de forma genuína, em grupos onde se encontra o teu público-alvo ou sobre temas que são do teu interesse é uma oportunidade para criares relações e conhecer cada vez melhor o teu cliente ideal.

  • Inscreve-te num grupo de networking

Além de eventos pontuais, há mesmo grupos que se reúnem semanalmente ou mensalmente e, se o networking é algo que privilegias e no qual queres apostar, inscreve-te num destes grupos e participa nas suas reuniões.

  • Cria um podcast

Falei há pouco de falar com um empreendedor por dia e a ideia aqui é ó estruturar um pouco mais esta ideia: imagina o que te pode trazer teres a oportunidade de conhecer os empreendedores que admiras e com quem gostavas de trabalhar!

Cria um podcast relacionado com empreendedorismo onde partilhas entrevistas a pessoas que consideras relevantes. Faz a lista de empreendedores a entrevistas, o email convite (ou porque não uma mensagem no LinkedIn ou uma chamada!) e o guião de perguntas. Agenda a data e grava a entrevista. Vais ter assim a oportunidade de conhecer melhor os seus negócios e as suas necessidades e de te apresentares, não só a estes empreendedores como a todos aqueles que vão ouvir o teu podcast!

No final, nada como enviar um email de agradecimento e follow-up a estes convidados e, quem sabe, agendarem a vossa reunião inicial!

  • Visita espaços de coworking e incubadoras de start-ups

Quantos coworks e incubadoras existem na tua cidade? Já os visitaste a todos?

Mesmo que decidas trabalhar em home-office nada te impede de conhecer os locais onde outros empreendedores da tua cidade trabalham. De uma forma geral há visitas guiadas por agendamento e vários eventos (muitas vezes gratuitos) a decorrer nestes lugares. 

Uma oportunidade para saberes que empresas e empreendedores utilizam o espaço, se o espaço dispõe ou não de serviço de assistência virtual ou está interessado em parcerias nesse sentido e de distribuíres o teu cartão de visita. Deixa a conversa fluir, sem te esqueceres dos objetivos que te levaram a agendar a visita.

  • Cria o teu próprio grupo no Facebook ou Instagram

O que tem a tua marca de especial que mereça ser partilhada num grupo? É o movimento #4workdaysweeks, as #tuesdaymornings ou a tua escolha pelo #workathomewithkids? Quantos empreendedores fizeram a mesma escolha que tu ou querem fazer e procuram inspiração e casos reais?

Se escolheste trabalhar apenas 4 dias por semana ou trabalhar com as crianças em casa, por que não partilhar inspiração, dúvidas e desafios num grupo? Um movimento gerido por ti, que te permite não apenas partilhar mais sobre a tua visão e motivação, como conhecer outras pessoas que se identificam e partilham os mesmos gostos e objetivos. Se o teu objetivo é trabalhar com clientes que partilhem esta tua visão, não te faltam motivos para meter “mãos à obra” e avançares com este grupo! 

 

Estas são apenas algumas ideias que poderás experimentar, sendo que muitas outras podiam aqui estar. Lembra-te: conhece-te, organiza-te e comunica-te! 

Uma longa caminhada, começa com um único passo.